página inicial

home page

Critérios de Avaliação

 

 

 

voltar

Aulas de Campo de

Biologia e Geologia (11ºA)

As aulas de campo, integradas no Projeto Anual "Anim'a Rocha" do Geopark Naturtejo, desenvolveram-se no âmbito da componente de Geologia da disciplina de Biologia e Geologia, tendo sido seguida a metodologia proposta no programa da disciplina: “Atividades de campo desenvolvidas com base num modelo que inclua três fases: uma fase prévia de preparação, a saída de campo e uma fase posterior de trabalho.” (Orion, 2001). Visaram o cumprimento de vários objetivos, entre os quais se salientam: compreender a génese dos principais tipos de rochas; classificar as rochas com base em critérios genéticos e texturais; identificar a importância dos fósseis na datação das formações rochosas que os contêm; aplicar princípios estratigráficos na resolução de exercícios concretos; identificar recursos geológicos e respetiva aplicabilidade numa perspetiva Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente (CTSA); desenvolver atitudes de valorização do património geológico (memória da Terra); incentivar e promover o contacto direto com o espaço natural; promover o contacto direto com os objetos de estudo; permitir a utilização de instrumentos científicos associados ao trabalho de campo; gerar aprendizagens significativas; incrementar a literacia científica; contribuir para o exercício de cidadania.

No dia 5 de maio de 2012 (sábado), decorreu a primeira aula de campo que consistiu na exploração do percurso PR6 – "Viagem pelos Ossos da Terra", com início e fim no Sobral Fernando. Os alunos construíram os materiais que exploraram nesse dia e, para isso, contaram com a orientação do professor responsável e o apoio de geólogos do Geopark Naturtejo, Dra. Joana Rodrigues e Dr. Carlos Neto Carvalho, que estiveram presentes em duas aulas preparatórias. Previamente, os alunos elaboraram um caderno de campo, ilustrativo das várias paragens que serviu de base à aula de campo propriamente dita. É de salientar que foram validados os recursos construídos pelo Grupo I do 12ºB (ano letivo 2010/2011), que em Área de Projeto desenvolveu o Roteiro Geológico e Biológico “Em busca… do que é Nosso!” (já disponível na rede de percursos oferecida pelo Geopark Naturtejo).

A segunda aula de campo decorreu no dia 23 de maio de 2012 (quarta-feira), em que foi dinamizada a atividade "Há ouro na Foz", garimpo do ouro no Rio Ocreza, no Sobral Fernando, com a colaboração dos geólogos do Geopark Naturtejo, Dra. Joana Rodrigues e Dr. Carlos Neto Carvalho. Como produto final da atividade, foi realizado, pelos alunos o documentário “O Ouro em Proença-a-Nova”.

O docente e os alunos agradecem todo o apoio prestado pelos geólogos do Geopark Naturtejo, que com os seus conhecimentos científicos, a sua disponibilidade e a sua simpatia contribuíram para uma partilha de ideias e um maior conhecimento da geologia do concelho de Proença-a-Nova. Agradecem, ainda, à Câmara Municipal de Proença-a-Nova a disponibilização de transporte para as duas aulas de campo.

Prof. Bruno Henriques

Fotografias da 1ª aula de campo:

Fig. 1 – As alunas Ana Manso, Beatriz Duarte e Catarina Mendonça a explicarem

aos restantes colegas os tipos de rochas presentes no percurso.

Fig. 2 – Os alunos Carlos Antunes, Marcelo Antunes e Rafael Farinha a

esclarecerem alguns dos aspetos inerentes à “Dobra de Albarda”.

Fig. 3 – O professor chamando à atenção para um dado elemento de pormenor da “Dobra de Albarda”.

Fig. 4 – O grupo formado pelos alunos João Cristóvão, João Ribeiro e Luís Rafael Ribeiro a

apresentar a fauna existente na zona envolvente ao percurso “Viagem pelos Ossos da Terra”,

bem junto à placa explicativa do Geomonumento das Portas de Almourão.

Fig. 5 – Os alunos José Maria Cardoso, Telma Tomaz e Valentina Cristóvão a exporem as

diferentes espécies que compõem a flora da encosta da Serra das Talhadas exposta a sul.

Fig. 6 – O grupo constituído pelos alunos Helder Lopes (na foto) e José Francisco Dias

exploraram a diversidade de dobras existente nas formações rochosas.

Fig. 7 – Os alunos Ricardo Fernandes, Rodrigo Bernardo e Tiago Lourenço a

explicarem a formação das Portas de Almourão.

Fig. 8 – O grupo de alunos constituído pelo Daniel Lopes, Diogo Catarino e Fábio Fernandes

a descrever as marcas de ondulação preservadas no quartzito.

Fig. 9 – Chegada ao Miradouro do Alto de Chão de Galego.

Fig. 10 – O aluno José Maria Cardoso a demonstrar, através da exploração da paisagem

vista do Miradouro do Alto de Chão de Galego, a estrutura do Sinclinal do Ródão.

Fig. 11 – Orvalho-do-sol (Drosophyllum lusitanicum), planta insetívora, rara,

presente na encosta da Serra das Talhadas exposta a norte.

 

Fotografias da 2ª aula de campo:

Fig. 12 – Atividade “Há ouro na Foz” no Rio Ocreza (Sobral Fernando).

Fig. 13 – Lavagem de sedimentos finos numa caleira.

Fig. 14 – Lavagem de sedimentos finos numa bateia.

Fig. 15 – Análise dos sedimentos com o intuito de encontrar alguma pepita de ouro.


topo