página inicial

home page

Critérios de Avaliação

 

 

 

voltar

Viernes, 1 de abril de 2011

Fomos a Cáceres e não foi mentira!

No passado dia 1 de Abril, as turmas do 9º ano realizaram uma visita de estudo a Cáceres, com uma agradável paragem na Ponte Romana de Alcântara. A visita contou com a organização das disciplinas de EMRC, Espanhol, Geografia, História e Língua Portuguesa.

Às 7.30 da manhã todos estávamos ansiosos para partir em busca do conhecimento. Na viagem de ida pudemos apreciar a vasta paisagem verde iluminada pelo sol primaveril que se fazia sentir. Ao chegar a Alcântara a imponência da ponte construída entre os anos 104 e 106 em honra do Imperador Trajano, surpreendeu-nos a todos. O rio que partilhamos com o país irmão, o Tejo, rende-se aos pés da construção que só cairá quando o mundo acabar.

Seguimos viagem em direcção a Cáceres, onde nos esperavam umas curiosas anfitriãs: as cegonhas que coloriam o céu e povoavam os ninhos à entrada da cidade que é o mais extenso município de Espanha.

Património da Humanidade pela Unesco desde 1986, Cáceres possui um dos conjuntos urbanos da Idade Média e do Renascimento mais completos do mundo, que pudemos conhecer chegando à Cidade Monumental.

À descoberta da Cidade Monumental, dividimo-nos em seis grupos para percorrer as ruas respondendo às perguntas de um peddy paper. De uma forma dinâmica, divertida e com espírito de aventura, conhecemos os mais emblemáticos edifícios de Cáceres: “La Concatedral de Santa María”, “El palácio de las Veletas”, “Los Palacios de los Golfines”, “La casa del Sol”, “El Arco de la Estrella”, entre outros.

Na Praça de São Jorge, ficámos a saber a lenda do dragão que tornou São Jorge num símbolo de coragem para o povo de Cáceres, sendo um dos seus patronos. Foi nesta Praça que nos voltámos a reunir todos para partir de regresso a Portugal, passando à ida para o autocarro pela “Calle de los Pintores”, uma das mais emblemáticas ruas de Cáceres.

Desta vez por um percurso diferente, fomos recebidos em Portugal pela maravilhosa paisagem alentejana. Marvão espreitava-nos do cimo do monte e Castelo de Vide, a Sintra do Alentejo, fazia-nos um convite à visita que deixámos para outra oportunidade.

Exaustos, mas mais ricos em saber, chegámos a Proença-a-Nova ao final da tarde cheios de novas histórias para contar...


topo