página inicial

home page

Critérios de Avaliação

 

 

 

voltar

PROENÇA COM ESCOLA BIOAROMAS

(ver vídeo in BeiraTV)

O Projeto junta jovens da Pedro da Fonseca na produção biológica de ervas aromáticas e chás, destinados à secagem e venda.

Produzir de forma biológica plantas de chás e ervas aromáticas, bem como sabonetes, óleos essenciais ou sacos de cheiros é o objectivo do Escola Bioaromas. Uma iniciativa da EB2,3/S Pedro da Fonseca, em Proença-a-Nova, destinada a crianças e jovens com necessidades educativas especiais entre os 13 e os 18 anos.

Duas vezes por semana, seis alunos da Unidade de Ensino Estruturado daquela escola deslocam-se ao viveiro municipal, onde aprendem não só noções básicas sobre cada uma das plantas, mas também regras de higiene e segurança do trabalho ou sensibilização ambiental. Espécies como o poejo, a alfazema, a erva-príncipe, a lúcia-lima ou o rosmaninho já não são novidade para estes jovens, acostumados à vida no campo, e que na escola contam também com aulas de música, informática, inglês e terapia da fala.

“O nosso sonho é fazer deles o mais funcionais possíveis e que seja possível arranjar uma mini-empresa, conta à Beira TV Graça Figueiredo, professora na Unidade de Ensino Estruturado da instituição. “Já temos uma grande ajuda. Temos esta parceria com a câmara e com a Ciência Viva, e vamos ter também o apoio da Escola Superior Agrária [de Castelo Branco], que nos vai enviar uma estagiária para nos ensinar a fazer todo esse ciclo”.

Neste Projeto pedagógico, todos ajudam. A matéria orgânica é recolhida no refeitório da escola, a Câmara Municipal de Proença-a-Nova cede o transporte e os técnicos (jardineira, engenheiro agrário, técnica de higiene e segurança no trabalho e arquitecta paisagista), enquanto que o Centro Ciência Viva dá a conhecer a fauna local.

“Ensino-os a misturar as terras, a dividir as plantas em tufos. A estacaria sou eu que faço, porque não lhes vou pôr uma tesoura e uma faca na mão. Depois ensino-os a plantar, para enraizar, e mais tarde vou ensinar a plantar no terreno e a semear sementes em alvéolos. Isso eles fazem muito bem”, refere Felismina Rodrigues, jardineira da autarquia. “Chegam aqui contentes e bem dispostos, e perguntam sempre o que vão fazer. Vêm sempre com disposição de aprender mais alguma coisa”.

Uma das plantas que parece ter sucesso junto dos jovens é a erva-cidreira, indicada como ideal para as infusões. Quanto às tarefas que mais agradam, Francisco Farinha, de 14 anos, aponta o “pôr sobreiros, regar as plantas e levá-las para a estufa, enquanto que Hugo Branco, de 15 anos, prefere “mexer nas plantas e regar”. Já dentro da estufa, onde são guardados os vasos, André Delgado, de 13 anos, fala de outras plantas e dos seus usos. “Os coentros servem para pôr na comida e para fazer chá. O alecrim serve para fazer chá e também é bom para os estudantes antes de irem fazer testes”.

No início da Primavera as plantas passam para os canteiros, e em Maio serão secas e empacotadas. Segue-se a primeira mostra de produtos, a 13 de Junho, nas festas do concelho, e ao longo do ano no Centro Ciência Viva e no Posto de Turismo de Proença-a-Nova. Até lá, e enquanto os aromas não chegam à televisão, fica o cheirinho de um Projeto que pretende autonomizar estas crianças e jovens e prepará-los para o mercado de trabalho.

Jorge Costa (texto, imagem e edição)
João Paulo Martins (imagem)

In www.beiratv.pt


topo